Blog de Viagens – Rumbo.pt

UM BLOG RUMBO
Home > O que ver > Colômbia: Os Encantos de Bogotá

O que ver

Colômbia: Os Encantos de Bogotá

Colômbia: Os Encantos de Bogotá
Abril 18
08:07 2016

Bogotá é uma daquelas cidades mal-amadas, vítima de mitos perpetuados, informações passadas de boca em boca entre viajantes, mas quase sempre baseadas num “diz que disse” sem fundamento. Que é perigosa, que é confusa, que não tem nada para ver. Um conjunto de simplificações que se aplica frequentemente a quase todas as capitais latino-americanas mas que demasiadas vezes necessitam de uma correcção. Será que Bogotá é mesmo assim? Perigosa e sem nenhuma mais-valia a assinalar?

Então mas… não é uma cidade perigosa?

Fotolia_45549241_Subscription_Monthly_M

É. Como qualquer cidade com diversos milhões de habitantes. Basta estar no local errado há hora errada e o visitante estará em apuros. Mas por outro lado não é complicado a um viajante manter-se afastado das áreas problemáticas, até porque as zonas consideradas seguras são imensas e darão para entreter durante semanas.

Tal como em qualquer capital europeia, vai-se sempre avistar um ou outro personagem mais suspeito, o que não quer dizer que se esteja tramado. A maioria destas pessoas são inofensivas, vítimas de uma vida que não lhe sorriu, transformadas em sem-abrigo ou toxicodependentes, socialmente excluídas. Mas se olhar em redor verá uma multidão de boa gente, estudantes universitários que vivem os melhores dias das suas vidas, estrangeiros que exploram as ruas da cidade, cidadãos comuns no seu passeio diário, gente que se dirige para o trabalho.

Não, a sério, Bogotá não é uma cidade perigosa. É uma cidade de que se pode usufruir sem grandes preocupações, com uma sólida classe média, onde se pode gozar de uma qualidade de vida notável.

La Candelaria

La Candelaria, historic neighborhood in downtown Bogota, Colombia

La Candelaria, historic neighborhood in downtown Bogota, Colombia

Esta área é o coração histórico da cidade, localizada surpreendentemente numa posição periférica, no extremo Sudeste de Bogotá. Ganhou fama de ser um local perigoso, que já não é. De facto tem uma vizinhança complicada, para Sul, mas nos dias que correm existem uma fronteira invisível que mantém o bairro com níveis de segurança elevados.

Poderia dizer que é a zona de divertimento nocturno de Bogotá, mas não seria inteiramente verdade. A capital colombiana é uma cidade onde as pessoas gostam de se divertir e existem diversos pólos de diversão. Em La Candelaria concentram-se sobretudo os estudantes universitários, o que não será surpreendente  considerando a presença no bairro de algumas das principais universidades da cidade.

É aqui que se encontra o parlamento e o palácio presidencial, bem perto da praça Bolívar, o coração desta zona. As ruas envolventes são o testemunho de um passado colonial que deixou aqui a sua marca arquitectónica e o viajante terá por aqui muito que ver.

É também a área dos museus, que em Bogotá ou são gratuitos ou a preços escandalosamente baixos. Recomenda-se uma visita à Quinta de Simon Bolívar, onde esta  importante figura histórica residiu durante alguns anos e hoje é um oásis de tranquilidade junto ao bulício da grande cidade.

Em La Candelaria abundam os bares, cafés e restaurantes, alguns muito charmosos, não ficando em nada a dever à cultura de cafés das cidades clássicas europeias, e com preços imbatíveis: se uma refeição num bom restaurante pode ser tomada por um valor bem razoável, o viajante preocupado com as despesas pode almoçar por menos de 2 Eur, e num estabelecimento com um ambiente aceitável.

Em Redor

Fotolia_64371765_Subscription_Monthly_M

A norte de La Candelaria encontra-se La Macarena, um bairro trendy, com uma fervilhante vida cultural, onde os artistas de Bogotá se reúnem e onde diariamente se organizam eventos convidativos. É por aqui, no Barrio Bohemio, como também é conhecido, que o visitante poderá seguir os passos de Gabriel Garcia Marquez, que, segundo consta, escapou a uma tentativa da polícia secreta de o capturar e possivelmente eliminar. O seu estatuto como centro cultural, não só de Bogotá como da Colômbia, não é recente. Começou a desenhar-se após a Segunda Guerra Mundial e foi-se consolidando até aos anos 70 do século XX.

Em La Candelaria, por detrás das universidades, apanha-se o teleférico ou o funicular para o topo de Monserrate, uma montanha sobranceira onde se encontra uma igreja muito popular entre os habitantes da cidade. Os mais aventurosos podem mesmo seguir o trilho que se eleva desde a cidade, apesar de ser apenas aconselhado aos fins-de-semana quando se encontra repleto de pessoas que seguem o mesmo percurso. De lá de cima tem-se uma vista fenomenal sobre a imensa Bogotá, mas deve ir precavido contra o frio e contra a rarefacção de oxigénio no ar. A cidade já se encontra a 2500 metros de altitude, e ao subir ao cerro chegará aos 3150 metros.

As Zonas

Zona Rosa (autor: cfrincon / Flickr CC)

Zona Rosa (autor: cfrincon / Flickr CC)

Para além das áreas históricas, há duas “Zonas” incontornáveis numa visita a Bogotá. Uma delas é a Zona G, sendo que G advém de “Gourmet”, famosa pelos seus restaurantes de elevada qualidade e considerada um dos melhores locais para se viver na capital colombiana. A Zona G encontra-se a norte da cidade e pode ser facilmente alcançada através do sistema Transmillenium – um conceito assente em autocarros modernos que se deslocam em vias reservadas, com paragens semelhantes a estações de metro de superfície.

A Zona Rosa fica também a norte e é o coração moderno da cidade. Aqui se encontram os melhores centros comerciais e as lojas com as marcas mais bem cotadas. Dolce & Gabana, Hugo Boss, Lacoste, Ralph Lauren, Louis Vuitton, Versace… todas as referências da moda mundial têm aqui representação.

Na realidade, a tendência clara é que as zonas a norte são seguras, modernas, cosmopolitas. Enquanto que ao se deslocar para sul, um visitante entrará gradualmente nos bairros mais desfavorecidos, onde as tensões sociais se tornam evidentes.

Domingo na Carrera 7

Carrera 7, Bogotá (autor: Carlos Eduardo Mateus / Flickr CC)

Carrera 7, Bogotá (autor: Carlos Eduardo Mateus / Flickr CC)

Ao fim-de-semana uma vasta percentagem da rede viária da capital é encerrada ao trânsito automóvel e entregue aos peões. Isto cria um ambiente fantástico. O visitante que tiver a sorte de se encontrar em Bogotá a um Domingo pode iniciar um passeio na Carrera 7, que sai da praça Bolívar e deliciar-se com os artistas de rua e com observação dos milhares de habitantes que usufruem das avenidas livres de carros. Claro que poderá prosseguir, pelo menos até ao aeroporto, a uns 6 km de distância, mas se desejar terminar a passeata junto da torre Colpatria – o mais alto edifício de Bogotá – saiba que pode subir ao terraço do último piso por uma quantia simbólica.

Etiquetas

Sobre o Autor

Ricardo Ribeiro

Ricardo Ribeiro

Ricardo Ribeiro: Nasceu e cresceu em Lisboa. Foi para o Algarve. Licenciou-se em História, andou dez anos com os galões dourados da Armada, até que mandou as rotinas à fava e passou a fazer websites. Agora está aqui, pronto para partilhar o que viu no Planeta. Lê, vê cinema, anda de moto 4, faz Geocaching e é Couchsurfer.

1 Comentário

  1. TripEconomy Hotéis
    TripEconomy Hotéis Abril 26, 12:52

    A Colômbia é um destino maravilhoso. Muito bom artigo!

    Responder a este comentário

Escrever Comentário

Siga-nos no

Infografias - Infografias inspiradoras by Rumbo.
Dicas para Viajantes - Viaje informado com a Rumbo.

Siga-nos no Facebook