Blog de Viagens – Rumbo.pt

UM BLOG RUMBO
 Últimas Notícias
Home > Conselhos de Viagem > 8 conselhos sobre o Caminho de Santiago

Conselhos de Viagem

8 conselhos sobre o Caminho de Santiago

8 conselhos sobre o Caminho de Santiago
Dezembro 07
08:37 2016

Se alguém me viesse dizer, há uns anos atrás, que ia passar férias levantando-me às seis da manhã para caminhar uma média de 25 quilómetros por dia, pelo meio dos campos, iria ter como reacção…uma sincera gargalhada. Esta experiência, assim à primeira vista, seria mais típica de um acampamento de verão para “regenerar” os canastrões que tivessem reprovado nos exames… Mas não: é o Caminho de Santiago!

Tal como eu, cerca de 54.000 pessoas escolheram esta peregrinação para as suas férias estivais.

Se valeram as alvoradas e as bolhas nos pés? Bem…se vos disser que estou a pensar repetir a façanha creio que fica claro… Honestamente, tudo o que me tinham contado sobre o quão enriquecedor é fazer este roteiro, e o quanto se desfruta, não é exagero nenhum. Isso não quer dizer que, como uma qualquer boa caloira, não tenha cometido uns quantos erros e esquecimentos que, asseguro-vos, não irei repetir… Para que fiquem de sobreaviso passo-vos estas oito dicas – ou advertências, depende de como as encarem – que vos serão muito úteis se forem estreantes nisto de ser peregrinos.

Foto: Alberto Cabrera/ Flickr CreativeCommons.

Foto: Alberto Cabrera/ Flickr CreativeCommons.

1. Não sem o vosso passaporte de peregrino!

Antes de partir preocupem-se em conseguir o documento que vos irão carimbando ao longo do caminho: é essencial, se quiserem pedir a Compostela ao chegar à catedral. Eu diria que não há motivo para apreensão, uma vez que nesses primeiros dias haverá muitas oportunidades para obtê-lo e para que o carimbem nos estabelecimentos associados.

2. Planear bem o itinerário e os quilómetros que querem – e podem – percorrer.

Isso depende dos dias livres de que disponham, de férias, e da vossa forma física. O mínimo para lograr a acreditação que atesta que realizaram o Caminho é de 100 quilómetros. De aí para cima, já é convosco!

3. Mala de viagem com o essencial.

Sim, pois, todos nós dizemos que só levamos o indispensável, mas na hora da verdade, depois de vários dias com a casa às costas, digo-vos que há coisas que começam a sobrar: roupa interior em demasia, as peças “se às tantas” chove e/ou faz frio (dependendo da época em que viajem), calçado alternativo…Calma! Durante a viagem, vão encontrar lojas de toda a espécie nas localidades por onde passem. O melhor é ir levezinhos do que ter que ir largando coisas aqui e ali.

Foto: José Antonio Gil Martínez/ Flickr CreativeCommons.

Mala de viagem com o essencial. Foto: José Antonio Gil Martínez/ Flickr CreativeCommons.

4. Meias com reforço, creme hidratante e vaselina são fundamentais.

Não poupes na hora de comprar meias. Os pés são instrumentais para poder chegar ao destino “sem depender de terceiros”. Há com reforço e especiais para caminhadas. Pelas noites, hidratação “q.b.”, vaselina e a recarregar baterias para o dia seguinte.

5. Madrugar ajuda, e muito!

A hora de levantar-se varia de pessoa para pessoa. Pela minha experiência digo-vos que o melhor é fazerem-se ao caminho muito cedo e fazer duas paradas no decurso dessa jornada. É a maneira de evitar sobrecargas musculares ou que apareçam feridas e esfoladelas. Além do mais, se for verão, chegarão ao lugar onde irão pernoitar por volta do meio-dia e assim evitarão as horas de calor.

Foto: Gus Taf/ Flickr CreativeCommons.

Foto: Gus Taf/ Flickr CreativeCommons.

6. Albergues, hostais, hotéisOnde ficar?

Normalmente esta escolha está condicionada pelo fundo de maneio disponível. No entanto, falando por experiência própria, posso dizer-vos que evitei os albergues, pelas mais variadas razões, e que os quartos duplo/triplos em hostais, saíram praticamente ao mesmo preço, ainda que ligeiramente mais caros.

7. Pessoas de todos os tipos, idade e forma física.

O que quero dizer com isto? Que jamais devem pensar que não serão capazes de fazer o Caminho. É surpreendente ver as pessoas mais velhas, por sua conta, assim como famílias com crianças, pessoas mais ou menos atléticas… Essa é uma das lições que se aprende, que todos são capazes de alcançar aquilo a que se propõem com esforço e perseverança.

8. Não cantar vitória em Agro dos Monteiros, a 262 metros de altura.

Este é o ponto mais alto do Caminho Português na Galiza que proporciona a primeira perspectiva sobre Santiago e as torres da catedral. Qualquer um se entusiasma e acha que já chegou à meta mas ainda há 6,4 quilómetros pela frente … Bom caminho!

Foto: Yellow.Cat/ Flickr CreativeCommons.

Obradoiro. Foto: Yellow.Cat/ Flickr CreativeCommons.


© Artigo traduzido por Miguel Albuquerque.

Etiquetas

Sobre o Autor

María Sanchez

María Sanchez

Viajera, que no turista; periodista y bloguera, que no redactora. Porque no es lo mismo ser que estar, SOY comunicadora por vocación. Licenciada en Periodismo, con amplia experiencia en medios de comunicación y redes sociales, mi gran pasión es descubrir Mundo. La mejor forma de recordar un viaje, contándolo. Puedes encontrarme en la blogosfera y en las redes sociales. Bon voyage!

0 Comentários

Ainda não existem comentários!

Não existem comentários neste momento, quer adicionar um?

Escrever Comentário

Escrever Comentário

Siga-nos no

Infografias - Infografias inspiradoras by Rumbo.
Dicas para Viajantes - Viaje informado com a Rumbo.

Siga-nos no Facebook