Blog de Viagens – Rumbo.pt

UM BLOG RUMBO
Home > Conselhos de Viagem > Conselhos práticos para fotografar em viagem

Conselhos de Viagem

Conselhos práticos para fotografar em viagem

Conselhos práticos para fotografar em viagem
Junho 25
11:59 2014

Tirar fotografias em viagem é algo que todos fazemos quer utilizemos a mais recente DSLR, uma simples compacta ou mesmo o telemóvel. O prazer de registar os lugares e as pessoas que conhecemos prolonga-se mais tarde quando os revemos já de regresso a casa. Mas todo o processo nem sempre é fácil.

Um dos problemas que pode acontecer é que, por vezes, a viagem atrapalha as fotografias… ou vice-versa. Ou, então, as fotografias que tirámos não correspondem exatamente àquilo que vimos ou idealizámos. Este artigo pretende, precisamente, ajudá-lo a encontrar a harmonia entre viajar e fotografar. E se quiser pôr em práctica os seus novos conhecimentos fotográficos em qualquer parte do mundo, não se esqueça que pode pesquisar no site da Rumbo e encontrar voos baratos!

 

1 – Viva o momento

A não ser que seja fotógrafo profissional e viaje apenas para fotografar, desfrute de tudo o que o rodeia e não fique obcecado com as fotografias que lhe podem mostrar, mais tarde, “aquele” lugar. O momento é… agora. Use todos os sentidos e esteja “lá”.

 

2 – Tenha o equipamento sempre pronto

Precisa de duas coisas essenciais para fotografar hoje em dia, além de uma máquina fotográfica ou mesmo de um telemóvel: uma bateria com carga e um cartão de memória com espaço. Ambos têm que chegar, pelo menos, até ao fim do dia. Conheça a sua máquina e assegure-se que a tem sempre pronta e disparar. Tenha sempre consigo uma bateria e cartões extra. Não perca tempo e energia durante o dia a rever as fotos. Faça sempre cópias de segurança das suas fotos à noite (para um disco externo e um PC/tablet e/ou para uma cloud. Formate os cartões imediatamente a seguir.

Lagoa Jokurlarson, Islândia

Lagoa Jokurlarson, Islândia

3 – Aprenda a ser um fotógrafo de viagem

A fotografia de viagem é um dos géneros mais exigentes porque, ao mesmo tempo, o fotógrafo tem que dominar uma série de outros géneros: paisagem, retrato, arquitetura, reportagem,… Vai tirar fotos de dia e de noite, no exterior e no interior, com o motivo em movimento e estático, etc., etc.. Ou seja, vai precisar de ter, pelo menos, algumas noções básicas de como utilizar a máquina fotográfica nestas diversas situações. Leia o manual, compre um bom livro, investigue na internet, invista num workshop.

 

4 – Conte uma história

O seu objetivo principal ao tirar fotografias é, suponho eu, poder recordar um dia a viagem. Faça uma reportagem dos momentos mais importantes. Registe as partidas/chegadas; o percurso até determinado lugar; os monumentos; o seu grupo; os amigos que fez; a comida; o seu quarto de hotel (logo à chegada, quando ainda está arrumado) e a vista desde a janela, a varanda ou o terraço do edifício; pormenores e curiosidades; você próprio, sozinho e com o seu grupo ou cara-metade. Atenção que esta lista um pouco longa não quer dizer que deve fotografar tudo o que vê. Seja criterioso e razoável.

Cavalos na Islândia

Cavalos na Islândia

5 – Seja rápido mas eficaz

Ninguém gosta de tirar fotografias à pressa (mas às vezes não há alternativa, é melhor treinar). Mas também ninguém gosta de viajar com um chato que atrasa o grupo por causa das fotos. Ou, pior ainda, não seguindo o que sugeri no ponto 1, seria uma pena apercebermo-nos que deixámos de viver o momento porque perdemos demasiado tempo a registá-lo. Observe o lugar logo desde longe, enquanto está a chegar, e escolha os melhores ângulos. Tire fotografias do geral para o particular. Conheça a sua máquina a fundo e faça ajustes de memória, mesmo sem olhar. Se viajar em grupo, tente ir sempre à frente. Desta forma, terá a vista desobstruída e, ao mesmo tempo, poderá demorar-se mais um pouco a tirar a sua foto enquanto o grupo avança. Depois, recupere o seu lugar à frente.

Reiquiavique, Islândia

Reiquiavique, Islândia

6 – “Congele” as fotos “tremidas”

Uma das maiores desilusões dos registos de férias são as fotografias “tremidas”. As razões podem ser muitas, assim como muitas são as formas de as evitar. Basicamente, uma ou várias destas circunstâncias aconteceram: o motivo não estava estático, o fotógrafo não estava estável, as configurações da máquina não eram as apropriadas. Ficam aqui algumas dicas básicas.

  • Se for possível, peça ao seu motivo (caso seja uma pessoa) para estar completamente imóvel.
  • Use todos os meios ao seu alcance para ter estabilidade no momento em que tirar a fotografia. Encoste-se a algo como um muro, parede, banco, sinal de trânsito ou deite-se mesmo no chão; tenha os pés fixos e suficientemente afastados; segure a máquina firmemente com as duas mãos e encaixe os cotovelos no corpo; não carregue com força no botão disparador, “esprema-o” suavemente (primeiro até meio para bloquear o foco e a exposição, depois totalmente para tirar a foto).
  • Saia dos modos totalmente automáticos da máquina aprendendo princípios básicos de fotografia. Normalmente, em situações de pouca luz, terá de aumentar o ISO, ou seja, a sensibilidade do sensor à luz (com perda de alguma qualidade da imagem). Poderá fazer o mesmo para motivos em movimento mas, se houver muita luz, basta aumentar a velocidade da exposição para “congelar” o movimento.

 

Amesterdão, Holanda

Amesterdão, Holanda

7 – Mantenha o mundo direito

A não ser que tenha um objetivo estilístico em mente, esforce-se por tirar fotografias “direitas”, nas quais as pessoas e os objetos não pareçam estar quase a escorregar para fora do enquadramento. Isto é extremamente importante em fotografias de paisagens pois o horizonte denuncia logo qualquer inclinação. Use-o, então, para alinhar a composição.

Em fotografias de arquitetura, são as paredes dos edifícios que o vão ajudar a alinhar verticalmente, mas tenha a noção de que, ao inclinar a máquina para cima de modo a fotografar o prédio inteiro, as linhas dessas mesmas paredes vão convergir, pelo que terá de endireitar a máquina ou aproveitar esse efeito para benefício da própria composição.

Santiago de Compostela, Espanha

Santiago de Compostela, Espanha

Em relação a fotos de pessoas, uma ligeira inclinação não é assim tão grave, especialmente em instantâneos de rua, mas, mesmo assim, não exagere. Em qualquer dos casos que aqui descrevo, poderá ter uma grande ajuda da sua máquina se ligar as linhas guia (no LCD ou no visor) que a maioria possui.

 

8 – Fotografe no interior ou à noite… sem medos.

Em interiores ou depois do anoitecer vai haver sempre menos luz do que na rua durante o dia. Isto significa que vai ter que fazer uma destas alterações nas configurações da máquina fotográfica (ou todas): aumentar o ISO, diminuir a velocidade, aumentar a abertura do diafragma ou usar o flash. Está na altura de estudar um pouco sobre fotografia… E, não se esqueça, no momento de disparar, use todos os truques possíveis para ganhar estabilidade.

Mesquita Azul, Istambul, Turquia

Mesquita Azul, Istambul, Turquia

Como sabe, em certos locais não é permitido o uso do flash, pelo que terá de ajustar os outros parâmetros. Em locais de culto, é boa ideia desligar o apito que indica o bloqueio de exposição e foco. Em áreas de grande contraste de luz, como em vitrais de igrejas, por exemplo, terá de ter particular cuidado com os valores de exposição. Encontre um equilíbrio na exposição para que os desenhos dos vitrais sejam visíveis, assim como as linhas arquitetónicas do interior.

 

9 – Seja um mestre do enquadramento

Ainda antes dos aspetos técnicos, uma fotográfica ganha vida através do enquadramento, a autêntica visão do fotógrafo. Por isso, tenha especial atenção em relação àquilo que inclui ou exclui da sua foto. E lembre-se sempre que o primeiro plano é tão importante como o plano de fundo. Mais do que registar um simples instantâneo, aprenda a decidir rapidamente qual é o assunto e como o quer destacar de tudo o resto. Use criativamente, por exemplo, o desfoque e contrastes de cores e texturas.

Zaanse Schans, Holanda

Zaanse Schans, Holanda

10 – Traga um pouco da simpatia das pessoas locais

Quando viajar, tente ao máximo não ser um turista. Saia dos percursos mais frequentados e interaja com as pessoas. Isto sim, é viajar. Faça amigos, nem que seja por um segundo…. e traga-os para casa numa fotografia.

Istambul, Turquia

Istambul, Turquia

Vá aos mercados, pequenas mercearias, bairros típicos e sorria para as pessoas com quem se cruza. Garantidamente, elas vão sorrir de volta. Meta conversa e peça para tirar uma fotografia. O pior que pode acontecer é dizerem que não. O melhor, é ficar com uma fotografia que lhe trará memórias bem mais fortes que um simples edifício.

Etiquetas

Sobre o Autor

Luís Seco

Luís Seco

0 Comentários

Ainda não existem comentários!

Não existem comentários neste momento, quer adicionar um?

Escrever Comentário

Escrever Comentário

Siga-nos no

Infografias - Infografias inspiradoras by Rumbo.
Dicas para Viajantes - Viaje informado com a Rumbo.

Siga-nos no Facebook