Blog de Viagens – Rumbo.pt

UM BLOG RUMBO
Home > O que ver > O que visitar em Lisboa: o nosso top 15 (Parte I)

O que ver

O que visitar em Lisboa: o nosso top 15 (Parte I)

O que visitar em Lisboa: o nosso top 15 (Parte I)
Abril 11
07:45 2014
7
SHARES

Há quantos anos não vai à capital? De certeza que já nem sabe o que visitar em Lisboa… Mas não se preocupe, nós fizemos um guia!

Caso não conheça a capital de Portugal, de certeza ficará com vontade de visitar tudo de uma só vez. O problema é que nem sempre temos tempo para ver todos os locais que queremos e acabamos por perder demasiado tempo a ver coisas que afinal não importam assim tanto.

Assim sendo, decidimos fazer um top 15 sobre o que visitar em Lisboa, para que não perca nada interessante E se ainda não decidiu onde  ficar, poderá pesquisar hotéis em Lisboa na nossa página!

#1 Mosteiro dos Jerónimos

lisboa mosteiro jeronimos

O Mosteiro dos Jerónimos é o símbolo mais impressionante e importante do poder e da riqueza de Portugal durante a época dos descobrimentos. É um dos monumentos mais importantes da arquitectura de estilo manuelino em Lisboa, e foi considerado Património Mundial pela UNESCO em 1983.

Fundado em 1496 por D. Manuel I com o nome de Mosteiro de Santa Maria de Belém, serviu para perpetuar a memória do Infante D. Henrique, a sua grande devoção a Nossa Senhore e a S. Jerónimo, e para comemorar o sucesso da viagem de Vasco da Gama à Índia. A cosntrução foi terminada em 1600 e o mosteiro foi doado aos monges da ordem de S. Jerónimo, razão pelo qual é hoje conhecido por Mosteiro dos Jerónimos.

Dentro do mosteiro é possível apreciar os túmulos de Vasco da Gama e o de Luis Vaz de Camões, poeta português e autor do épico ‘Os Lusíadas’ no qual são glorificados os triunfos de Vasco da Gama durante a viagem à Índia. D. Manuel, D. Sebastião, e os poetas Fernando Pessoa e Alexandre Herculado são algumas das figuras históricas que estão também sepultadas no mosteiro.

Onde: Praça do Império, em Belém
Como chegar: Eléctrico 15
Horário: 10:00-17:00 (Outubro a Abril), 10:00-18:00 (Maio a Setembro) (Fechado às segundas-feiras)
Website: www.mosteirojeronimos.pt
Preço: 6 €, GRÁTIS com o Lisboa Tourist Card

#2 Torre de Belém, Padrão dos Descobrimentos e Pastéis de Belém

Torre de Belém

lisboa torre de belem

A Torre de Belém foi encomendada pelo rei João II para ser parte de um sistema de defesa na foz do rio Tejo e uma porta de entrada para Lisboa.

Construída em 1515 como uma fortaleza para proteger a entrada do porto de Lisboa, a Torre de Belém foi o ponto de partida para muitas das viagens de descoberta, e para muitos marinheiros foi a última visão da sua pátria. Na época da sua construção, a torre era conhecida como a Torre de São Vicente, por ter sido posta pelo rei sobre protecção de São Vicente, padroeiro de Lisboa.

Foi construída em estilo manuelino, incorpora muitos motivos de alvenaria dos Descobrimentos, esculturas retratando figuras históricas, e de animais exóticos. É Património Mundial da UNESCO devido ao papel significativo que desempenhou nas descobertas marítimas portuguesas. Originalmente, a Torre de Belém estava cercada de água, mas com o passar dos séculos o rio Tejo recuou e hoje em dia é possível aceder à torre a partir da margem.

Onde: Avenida da India, Belém
Como chegar: Eléctrico 15
Horário: 10:00-17:00 (Outubro a Abril), 10:00-18:30 (Maio a Setembro) (Fechado às segundas-feiras)
Website: www.torrebelem.pt
Preço: 5€, GRÁTIS com o Lisboa Tourist Card

Padrão dos Descobrimentos

lisboa padrao descobrimentos

O Padrão dos Descobrimentos foi originalmente construído para a Exposição Mundial de 1940. Comemora as conquistas dos exploradores portugueses durante a Era dos Descobrimentos e homenageia o Infante D. Henrique, personagem fundamental para o sucesso das explorações durante o século XV.

O monumento era para ser apenas uma estrutura temporária e, por esse motivo, acabou por ser demolido alguns anos mais tarde. O que vemos hoje é uma réplica exacta do original, construído em 1960 por ocasião do 500º aniversário da morte do infante D. Henrique. Tem a forma de proa de um navio e mostra mais de 30 estátuas de pessoas que desempenharam um papel importante nas descobertas. Liderando o caminho está o Infante D.Henrique, o Navegador, que é mostrado de pé na proa segurando um modelo de uma caravela. Atrás dele aparece o rei Afonso V – que apoiou a exploração e colonização de África – e os exploradores Vasco da Gama (que encontrou uma rota directa para a Índia), Pedro Álvares Cabral (descobridor do Brasil) e Fernão de Magalhães (o primeiro explorador a circunavegar o mundo). Seguidamente aparecem vários navegadores, escritores, missionários, um matemático, um cartógrafo e outras figuras da época dos descobrimentos.

Onde: Avenida da India, Belém
Como chegar: Eléctrico 15
Horário: 10:00-18:00 (Outubro a Fevereiro), 10:00-19:00 (Março a Setembro) (Fechado às segundas-feiras durante o mês de Março)
Website: www.padraodosdescobrimentos.pt
Preço: 3€

Pastéis de Belém

lisboa pastel de belem

Em 1837, inicia-se o fabrico dos “Pastéis de Belém”, em instalações anexas à refinação de cana-de-açúcar que aí existia desde o início do século XIX, segundo a antiga “receita secreta”, oriunda do convento. Transmitida e exclusivamente conhecida pelos mestres pasteleiros que os fabricam artesanalmente, na “Oficina do Segredo”. Esta receita mantém-se igual até aos dias de hoje. De facto, a única verdadeira fábrica dos “Pastéis de Belém” consegue, através de uma criteriosa escolha de ingredientes, proporcionar hoje o paladar da antiga doçaria portuguesa. *

(* Excerto transcrito do site www.pasteisdebelem.pt)

Sem dúvida os pastéis mais conhecidos de Lisboa!

Apesar das longas filas que diariamente se encontram no estabelecimento, não demorará mais de 15minutos para ser atendido. Não se esqueça de polvilhar os pastéis de Belém com canela e açucar em pó, e comer enquanto ainda estão quentes!

Onde: Rua de Belém 84
Como chegar: Eléctrico 15, autocarro 714, 727, 751 ou comboio para Belém a partir do Cais do Sodré
Horário: 08:00–23:00
Website: www.pasteisdebelem.pt
Preço: 6€, 1 Pastel de Belém + 1 Bebida

#3 Palácio Nacional da Ajuda

lisboa palacio ajuda

O Palácio Nacional da Ajuda é um monumento neoclássico e está situado na freguesia da Ajuda. Originalmente, no local onde se encontra agora o palácio, existiu um edifício temporário e feito em madeira que serviu para abrigar a família real logo após o terramoto de 1755.

Onde: Largo da Ajuda
Como chegar: Autocarros 18; 729; 732; 742; 60. CP (linha do Estoril): estação de Belém
Horário: 10h00-18h00
Encerrado às 4ª feiras, 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1 de maio, 25 de dezembro.
Website: www.palacioajuda.pt
Preço: 5€, ou GRATIS com o Lisboa Tourist Card

#4 Castelo de S. Jorge

lisboa castelo sao jorge

O Castelo de São Jorge é um castelo mourisco, estrategicamente posicionado no topo da mais alta colina de Lisboa, com vista para o bairro de Alfama, o mais antigo da cidade e para o rio Tejo. A cidadela, fortemente fortificada, data do período medieval da história de Portugal e é um dos principais locais a visitar em Lisboa.

Serviu como residência real dos mouros até que o primeiro rei de Portugal Afonso Henriques o conquistou em 1147. Em seguida, foi dedicado a São Jorge, o santo padroeiro da Inglaterra, em comemoração do pacto Anglo-Português de 1371, e tornou-se o palácio real até à construção de um outro na zona onde hoje se encontra a Praça do Comércio (destruído pelo terramoto de 1755).

A maior parte do castelo foi destruída ao longo dos anos, especialmente no Grande Terremoto de 1755, mas o que resta do castelo ainda inclui uma longa extensão de muralhas e 18 torres. Os visitantes podem subir às torres, passear ao longo das muralhas e ter algumas das vistas mais deslumbrantes da cidade de Lisboa, ou relaxar nos jardins.

Onde: Alfama
Como chegar: Caminhar até de Alfama, autocarro 37 ou Elétricos 12 e 28
Horário: 9h00-18h00 (Novembro a Fevereiro), 9h00-21h00 (Março a Outubro)
Website: www.castelodesaojorge.pt/
Preço: 7,50€, ou 6€ com o Lisboa Tourist Card

#5 Bairros típicos de Lisboa – Bairro Alto, Chiado e Alfama.

lisboa miradouro santa luzia

Alfama é o mais antigo e um dos bairros típicos da cidade de Lisboa. O seu nome deriva do árabe al-hamma, que significa banhos ou fontes.

Por cima e envolvendo Alfama ficam a colina do Castelo de São Jorge, fortaleza e palácio real até ao século XVI, e a colina de São Vicente. Para além do Castelo, os principais monumentos da zona são a Sé de Lisboa, a Igreja de Santo Estêvão e a Igreja de São Vicente de Fora.

Alfama é um bairro muito peculiar e assemelha-se a uma pequena aldeia não só em aspecto, mas também por ter uma comunidade relativamente pequena e próxima. O bairro é frequentado diariamente por turistas portugueses e estrangeiros, sendo considerado como o mais seguro de toda a cidade de Lisboa. É conhecido pelos seus restaurantes e casas de fado, assim como pelos festejos dos Santos Populares, em especial na noite de Santo António, de 12 para 13 de Junho.

Ruas do Bairro Alto durante o dia

Ruas do Bairro Alto durante o dia

Bairro Alto é um bairro antigo e pitoresco no centro de Lisboa, com ruas estreitas e empedradas e casas seculares. Desde os anos 80 que é a zona mais conhecida da noite lisboeta. O bairro adquiriu uma vida muito própria e característica, onde se cruzam diferentes gerações na procura de divertimento nocturno.

Em 2010, o Bairro Alto foi classificado como Conjunto de Interesse Público (CIP).

lisboa praça de camoes

Largo de Camões, em pleno centro do Barrio Alto

Chiado, vizinho do Bairro Alto e da Baixa Pombalina, é um dos bairros mais emblemáticos e tradicionais da cidade de Lisboa. É elegante e sofisticado, povoado por teatros, livrarias, cafés de estilo antigo e lojas de jóias. É uma zona comercial tradicional que mistura estabelecimentos comerciais antigos e modernos.

A área é tradicionalmente conhecida pelas suas ligações intelectuais e por isso é possível encontrar várias estátuas de figuras literárias. Fernando Pessoa, um dos maiores poetas da Língua Portuguesa, está sentado a uma mesa no exterior do Café A Brasileira, imortalizado numa estátua de bronze da autoria de Lagoa Henriques.

lisboa cafe brasileira

Estátua Fernando Pessoa na esplanada do Café A Brasileira

Na madrugada do dia 25 de Agosto de 1988, entre as 3 e as 4 da manhã, deflagrou um incêndio no edifício Grandela, que viria a tomar grandes proporções alastrando-se a mais dezessete edifícios. O Chiado ficou destruído e a sua reconstrução levou toda a década de 1990, ficando o design a cargo do arquiteto Álvaro Siza Vieira.

Hoje em dia o Chiado voltou a ser um importante centro de comércio de Lisboa, sendo uma das zonas mais cosmopolitas e movimentadas da Capital Portuguesa.

Gostou desta primeira parte? Então vamos conhecer mais! A segunda parte do guia de Lisboa já saiu. E a terceira parte do top 15 de Lisboa também!

7
SHARES
Etiquetas

Sobre o Autor

Susana Almeida

Susana Almeida

Antiga estudante de tradução e a trabalhar na Rumbo desde Julho de 2013, já fiz de tudo um pouco... Analista SEO, Community Manager, Content Creator, Copywriter, Traductora e outros trabalhos que façam falta, ainda tenho tempo para ter dois blogs próprios http://falardeviagens.com e http://desbravandomadrid.com e uma página de bijuteria feita com materiais reciclados. Amante das viagens, das línguas estrangeiras e das culturas diferentes da minha, aproveito o meu trabalho para conhecer um pouco mais do mundo sem sair de casa!

3 Comentários

Escrever Comentário

Siga-nos no

Infografias - Infografias inspiradoras by Rumbo.
Dicas para Viajantes - Viaje informado com a Rumbo.

Siga-nos no Facebook