Blog de Viagens – Rumbo.pt

UM BLOG RUMBO
Home > O que ver > O Vietname de Lés a Lés de Comboio

O que ver

O Vietname de Lés a Lés de Comboio

O Vietname de Lés a Lés de Comboio
Setembro 18
07:00 2015

O Vietname marcou o imaginário das gerações que cresceram sob os ecos da brutal guerra que ali se desenrolou entre meados do século XX e o mês de Abril de 1975. Durante os anos que se seguiram a indústria cinematográfica norte-americana produziu ainda uma série de filmes de grande impacto que estenderam os efeitos do conflito à geração seguinte: The Deer Hunter, Apocalypse Now, Full Metal Jacket e Platoon são talvez as películas mais significativas desse ciclo.

Com a vitória do Vietname do Norte e com a reunificação do país sob o regime comunista apoiado pela União Soviética, a situação na região estabilizou. Aos poucos os rumores de guerra ficaram para trás e os turistas ocidentais começaram a ser bem-vindos. Hoje o Vietname é um destino muito cobiçado, oferecendo um bom equilíbrio entre o exotismo de uma nação tão diferente e as facilidades ao dispor do viajante. Os hotéis no Vietname são, em regra geral, mais baratos do que os europeus.

viajar comboio vietname voos baratos

 

Porquê o Comboio?

A configuração do território vietnamita, longo e estreito, com uns 2.000 km de ponta a ponta mas apenas com uns meros 50 km de largura em algumas zonas, torna-o ideal para uma visita de comboio. Pode assim o visitante percorrer o país, detendo-se nos pontos mais interessantes, e usufruir de uma forma prática, económica e cómoda de se deslocar.

Além disso, os comboios são uma óptima forma para se conhecer pessoais locais, ensaiar conversas, ouvir estórias. Não há nada como o intimismo de uma viagem de doze horas partilhadas com desconhecidos para quebrar barreiras e fazer novos amigos.

Em termos económicos, a viagem de comboio poupará a pernoita num estabelecimento hoteleiro e no final ainda se poupa tempo, porque se dorme em andamento e quando o dia desperta já se vai chegando a um novo local.

Pela janela passa a paisagem, por vezes rural, com os imensos arrozais trabalhados por agricultores auxiliados por bois, outras vezes cosmopolita, com as praias que vão desfilando. Há sempre algo para ver, como se do lado de lá do vidro existisse uma tela de cinema.

 

Como São os Comboios Vietnamitas?

O material em circulação é aceitável. As carruagens com beliches são relativamente modernas e cómodas, mas as casas de banho podem ser algo repugnantes. Alguma comida é servida, mas poderá existir um problema de comunicação se não falar um pouco de vietnamita. De forma geral o ar condicionado funciona bem e não existem preocupações com a segurança.

viajar comboio vietname voos baratos

(Foto: simongx / Licença Creative Commong)

 

Onde Começar?

Apesar de existirem extensões secundárias, o panorama ferroviário do Vietname é dominado pela chamada Linha da Reunificação, que une a capital, Hanói, à segunda maior cidade do país e antiga capital do Vietname do Sul, oficialmente chamada de Ho Chi Minh mas também conhecida pelo seu anterior nome, Saigão. Entre estas duas opções deverá o visitante escolher a que melhor se adequar ao sentido geral da sua viagem ou às suas opções de voos para entrar e sair do país. Uma boa solução será tratar do visto turístico para o Vietnam em Bangkok, voar para Hanoi e fazer o caminho, por assim dizer, de regresso, por comboio.

 

Onde Parar?

Se começar a aventura em Hanoi, quem sabe, depois de usar uns dias da sua viagem a explorar as maravilhas de Sapa e da baía de Halong, poderá dividir a travessia do país duas etapas intermédias: Hue e Danang – Hoi An.

Claro que deverá usar o tempo necessário a conhecer Hanoi, uma cidade misteriosa, oriental, cheia de recantos, pormenores genuínos, bairros locais, artesãos e gaiatos curiosos. Depois, é embarcar no comboio que o esperará na estação central, uma gare parcialmente destruída pelos bombardeamentos norte-americanos de meados dos anos 70 e “remendada” com um estilo bem soviético, a contrastar com o charme da arquitectura colonialista francesa.

Uns 700 km depois, com uma noite passada no conforto do seu beliche, chegará a Hue. A Capital Imperial. Classificada como Património Mundial pela UNESCO. Tem um perfume a provincianismo, é mais pequena, as pessoas vestem-se de outra forma. Mas vale mesmo é pelo complexo da Cidadela, onde em 1968 ocorreu uma batalha feroz entre os guerrilheiros apoiados pelo Norte e as forças dos EUA e do Vietname do Sul.

viajar comboio vietname voos baratos

Ban Gioc, Cataratas Detian

Hué é, por assim dizer, a capital do Vietname Central, localizando-se muito perto da antiga fronteira entre o Norte e o Sul, onde a guerra foi mais encarniçada. Por isso é também um excelente ponto de partida para os que se interessam pelo conflito. Há diversas tours que levam o turista aos locais de batalha mais significativos, com destaque para a famosa Khe Sanh.

A segunda etapa inicia-se em Danang, a umas meras duas horas de comboio – que são as mais cénicas de toda a Linha da Reunificação – de Hue. Danang é uma cidade bastante desenvolvida e um destino de praia. Mas a verdadeira pérola encontra-se a uns 20 km: Hoi An, essa maravilhosa cidadezinha repleta de edifícios de outros tempos, de mercados cheios de encanto, de restaurantes românticos. Em Hoi An é como se cada metro da cidade antiga pedisse uma fotografia. É um universo de cores e de temas que enchem o olho de qualquer visitante e prometem um par de dias cheios de encanto.

Por fim, a chegada a Saigão, uma grande metrópole, confusa, barulhenta, poluída. Enquanto em Hanói se respira história e tradição, na antiga capital do sul há comércio, alguns hotéis de luxo, um toque de cosmopolitismo que não se enquadraria bem no austero Norte. Poderá explorar a cidade por alguns das antes de se despedir do Vietnam. Se puder dê um salto ao delta do Mekong, por exemplo, a Can Tho e aos seus encantadores mercados flutuantes, quase sem turistas.

viajar comboio vietname voos baratos

Khai Dinh

 

Tempos e Custos

A viagem completa, de uma ponta à outra da Linha da Reunificação, demorará cerca de 50 horas. Claro que com tanto para ver pelo meio, três dias não bastarão. Uma semana será o mínimo, um par delas o ideal. Uma travessia típica, com uma paragem ou duas, custará cerca de 75 Euros, incluindo uma das melhores camas-beliche.

Os bilhetes podem ser comprados nas estações principais, mas se não se sentir à vontade para lidar com o processo poderá recorrer aos serviços de uma agência ou, melhor ainda, do seu hotel. A comissão não costuma ser muito penalizante e retira algum stress à experiência.

viajar comboio vietname voos baratos

Baía de Danang

Etiquetas

Sobre o Autor

Ricardo Ribeiro

Ricardo Ribeiro

Ricardo Ribeiro: Nasceu e cresceu em Lisboa. Foi para o Algarve. Licenciou-se em História, andou dez anos com os galões dourados da Armada, até que mandou as rotinas à fava e passou a fazer websites. Agora está aqui, pronto para partilhar o que viu no Planeta. Lê, vê cinema, anda de moto 4, faz Geocaching e é Couchsurfer.

0 Comentários

Ainda não existem comentários!

Não existem comentários neste momento, quer adicionar um?

Escrever Comentário

Escrever Comentário

Siga-nos no

Infografias - Infografias inspiradoras by Rumbo.
Dicas para Viajantes - Viaje informado com a Rumbo.

Siga-nos no Facebook