Blog de Viagens – Rumbo.pt

UM BLOG RUMBO
Home > O que ver > Radicalismo religioso nas montanhas da Etiópia

O que ver

Radicalismo religioso nas montanhas da Etiópia

Radicalismo religioso nas montanhas da Etiópia
Junho 25
10:30 2015
99
SHARES

Protegida por uma geografia agreste e um povo lutador, a Etiópia aparece como uma ilha cultural no continente africano. No século IV foi o segundo país do mundo a adotar o cristianismo como religião oficial. Ali bem perto, na península arábica, os radicais islâmicos representaram durante séculos uma ameaça à sua religião. À exceção de uma curta invasão italiana, o país nunca foi efetivamente colonizado por uma potência europeia.

A evangelização do território começou logo após a morte de Cristo, mas seriam necessários mais de 300 anos até que a queda de um obelisco em Axum, antiga capital, ditasse o fim do paganismo dominante e a conversão do estado etíope ao cristianismo.

Isolada do resto da cristandade, a igreja etíope seguiu o seu caminho, adotando um estilo artístico e rituais próprios. Alguns dos seus padres e monges constituíram exemplos particulares dessa singularidade pelos locais que escolheram para viver, rezar e fundar igrejas e mosteiros.

A busca da proximidade com Deus e do isolamento do mundano levou-os a subir cada vez mais alto pelas agrestes escarpas das montanhas da província de Tigray, no norte do país. Rezar deixou aqui de ser um ato de fé, para ser aqui uma prova às vertigens, equilíbrio e coragem dos crentes. Entre as mais conhecidas e visitadas igrejas e mosteiros da província de Tigray, encontram-se o mosteiro de Debre Damo e a igreja de Abuna Yemata Guh.

Frescos no interior da igreja de Abuna Yemata Guh voos baratos adis abeba

Frescos no interior da igreja de Abuna Yemata Guh

Debre Damo

Abuna Aregawi, um dos “Nove Santos” venerados na Etiópia, foi o fundador deste mosteiro. Reza a lenda que o santo terá sido ajudado por uma enorme cobra colocada ali por Deus, que o ajudou a subir a parede de pedra com 15 metros de altura, que permite aceder ao planalto no todo da montanha de Debre Damo.

A verdade é que não há outro local para subir e hoje, quem lá quer ir continua a ter de escalar a parede, agora com a ajuda de uma “cobra” de couro entrançado. A aventura não é para todos: às mulheres e a qualquer animal do sexo feminino é vedado o acesso, e os homens, é bom que preparem os braços e deixam para trás as vertigens, se quiserem chegar lá cima.

Para ajudar na subida, e por segurança, é disponibilizada aos visitantes uma segunda fita de couro que se enrola à cintura, para que o monge de serviço vá puxando.

Debre Damo é um dos mais importantes mosteiros da Etiópia, albergando uma importante coleção de manuscritos e outros tesouros religiosos, assim como uma comunidade autossuficiente de algumas dezenas de monges. Estes criam os seus animais, plantam as suas hortas e bebem da água armazenada nas cisternas, num local que parece flutuar no imenso mar de serras em redor.

Subida ao mosteiro de Debre Damo voos baratos adis abeba

Subida ao mosteiro de Debre Damo

Abuna Yemata Guh

Se em Debre Damo temos a ajuda da cobra e dos monges para subir ao topo, em Abuna Yemata Guh a situação é um pouco diferente. Até chegar à parte tecnicamente exigente, é necessária uma caminhada de uns 45 minutos, sempre a subir pelos toscos degraus de pedra, normalmente sob um sol abrasador. Nesta igreja no entanto, todos são bem-vindos: homens e mulheres.

Com a subida, o declive vai-se acentuando gradualmente até que se chega a uma parede vertical. A sua subida é relativamente fácil para quem tiver um pouco de experiência de escalada, mas para os outros pode ser o ponto final nesta visita.

Passada a parede somos recebidos pelas ossadas de antigos clérigos, cujos corpos foram depositados em pequenas grutas nas rochas e ali se mantêm para mostrar a fragilidade da carne.

Os últimos metros são a prova de fogo para os peregrinos e aventureiros: para chegar à porta da igreja falta apenas um pequeno troço de uns 15 metros, com um precipício de 200 metros de altura ao lado.

Por fim, somos recebidos pelo seu padre, no interior da pequena igreja, completamente escavada no interior da montanha. Dá vontade de ficar ali um bom bocado, a apreciar os belos frescos que decoram as suas paredes e a contemplar a beleza e a paz que este local transmite. Isto claro, sem pensar no caminho de regresso.

etiopia montanhas caminhada voos baratos adis abeba

Trilho final na chegada à igreja de Abuna Yemata Guh

Algumas dicas para visitar estes locais

Os transportes locais no norte da Etiópia são extremamente limitados, pelo que aceder de forma independente a estes locais requer bastante tempo, paciência e alguma experiência de viagem em África.

A maioria dos visitantes recorre vulgarmente ao aluguer de viatura com condutor, que é facilmente organizável em Axum ou Mekele. Dois dias de viagem permitem visitar, para além de Debre Damo e Abuna Yemata Guh, mais duas ou três igrejas e mosteiros. O preço incluindo transporte, entradas, guias e alojamento rondará os 300 USD para os dois dias.

Se depois disto está interessado em ir até à Etiópia, dê uma olhada às ofertas de voos baratos para Addis Abeba que a Rumbo tem no seu site.

99
SHARES
Etiquetas

Sobre o Autor

Samuel Santos

Samuel Santos

Em 2005 viajou até à Guiné com um grupo de escuteiros e, o contacto com aquele continente marcou-o de tal forma que no ano seguinte regressou, de carro. Decidiu começar a escrever o blog “Dobrar Fronteiras” (http://www.dobrarfronteiras.com/) com o intuito de inspirar e ajudar aqueles que lhe queiram seguir as pisadas. Acredita que viajar é para todos e sempre que pode, põe a mochila às costas e vai viajar.

3 Comentários

  1. Filipe Morato Gomes
    Filipe Morato Gomes Junho 30, 09:40

    Parabéns pelo texto, Samuel, é preciso mesmo muita fé – ou então curiosidade de viajante, que é o melhor bálsamo, para subir aquilo :).
    A Etiópia continua no meu horizonte…
    Grande abraço.

    Responder a este comentário
  2. Ricardo Ribeiro
    Ricardo Ribeiro Julho 15, 10:42

    Mesmo de propósito, estava mesmo a ver voos para a Etiópia. Um amigo meu – o único tipo com que viajei até hoje – já lá esteve, não é nada de extraordinário em termos de dificuldade.

    Responder a este comentário

Escrever Comentário

Siga-nos no

Infografias - Infografias inspiradoras by Rumbo.
Dicas para Viajantes - Viaje informado com a Rumbo.

Siga-nos no Facebook